Segundas residências: O que fazer em caso de ausência prolongada

Segundas residências: O que fazer em caso de ausência prolongada

A Atlantic revela os melhores conselhos para não apanhar surpresas desagradáveis com as habitações de férias

A Atlantic Portugal, especialista em soluções de conforto térmico para AQS e Aquecimento, divulgou as melhores práticas a nível de poupança energética para quem tem uma segunda habitação. Questões desde “se tem que desligar o aquecimento ou o termoacumulador eléctrico”, entre outras, foram agora abordadas pelos instaladores e técnicos da Atlantic. Para se sentirem tranquilos quando saem da sua segunda residência, os proprietários apenas têm de seguir estes simples conselhos:

Por que tem de ser cuidadoso?

As perdas ou fugas de água são bastante comuns. Mesmo que a sua segunda residência tenha uma excelente manutenção, é impossível prever tudo. Para ficar sem preocupações, e sobretudo para evitar surpresas desagradáveis no regresso, é necessário seguir estes simples conselhos. Isto evitará situações catastróficas (inundações, etc), a fixação de humidade, o arrefecimento da casa e também o consumo inútil de energia.

O que desligar e o que deixar ligado na segunda residência
− Comece por desligar os diferenciais e interruptores que não serão usados na ausência e dispositivos como o despertador, a televisão ou a aparelhagem: é inútil estar a consumir eletricidade para nada.
− Depois, deve desligar o termoacumulador eléctrico, assim como a torneira de entrada de água fria. Isto evitará as fugas. Se possui uma canalização de gás na casa, corte também o fornecimento.
− Se tem uma bomba de calor para água quente sanitária, como o modelo Explorer, não é necessário desligá-la. Utilize o modo “Férias” e programe o equipamento em função do seu regresso.
− No que se refere ao aquecimento, se possui emissores programáveis com detetor de presença, como o novo emissor inteligente Oniris, os equipamentos entrarão em modo de consumo reduzido, pensado para evitar a formação de gelo nas tubagens de água em caso de ausência prolongada. Os emissores entram de novo em funcionamento quando detetam a presença humana. Neste caso, tudo é feito automaticamente e sem ação do proprietário. Se os emissores não estão equipados com detectores de presença, coloque-os em modo de consumo ECO para evitar a formação de gelo na tubagem. Se a casa está munida de um sistema de climatização, coloque-o também no modo de consumo mínimo, a não ser que possua um detector de presença.
− Por último, de forma a evitar a humidade e os maus odores, convém deixar o sistema de ventilação ligado e programado para várias fases do dia. Muitas pessoas desligam-no, gerando assim humidade na casa. No entanto, é necessário que exista sempre uma boa circulação do ar, inclusivamente quando não está habitada.
Mais conselhos importantes na hora de deixar a segunda residência
− Caso seja um chalet de montanha, antes de ir, deverá verificar se tudo está bem fechado (portas, janelas, persianas…). No inverno, o fechar das persianas protege a habitação do gelo, da humidade e das intempéries em geral.
− Se a casa está situada na montanha, atenção ao gelo. É importante não cortar a água quando sai de casa. O facto de cortar a água poderá fazer com que as canalizações congelem, pelo que é preferível deixar a água aberta; isto permitirá que se liberte a pressão e que se reduza os riscos de congelar as tubagens e originar uma ruptura.
− Caso tenha amigos ou familiares na região, era importante pedir-lhes para abrirem a casa de vez em quando. Retirar a correspondência da caixa de correio regularmente permite demonstrar que a casa está habitada e diminui assim as possíveis tentativas de roubo.

O que fazer no regresso a casa?
− O proprietário deve voltar a ligar interruptor por interruptor. Desta forma pode verificar passo a passo que está tudo a funcionar bem e, em caso de avaria, compreenderá facilmente de onde essa provém.
− Não se deve esquecer de abrir a torneira geral da água. Deve esvaziar a água presente nas tubagens fazendo-a correr entre 30 segundos a um minuto.
− Depois, deve voltar a colocar todos os equipamentos em funcionamento, um por um. Se tem uma caldeira de gás ou de combustível, deve ter cuidado no momento de a voltar a ligar e controlar bem a pressão do circuito de aquecimento (entre 1,2 e 2,5 bares). Caso tenha radiadores eléctricos, verificar de antemão que não está muita poeira acumulada. Uma pequena passagem de um pano evitará libertação de maus odores.
− Se existe uma bomba de calor para água quente sanitária, como a Explorer, a água aquecerá de forma muito rápida. Por outro lado, se tiver um termoacumulador, terá de esperar mais tempo antes de poder tomar um duche bem quente.
− Um último conselho para um excelente conforto térmico na segunda residência quando chegar: sistemas de controlo remoto, como o novo ARC da Atlantic, permite gerir e supervisionar à distância o conforto térmico da casa. Isto é particularmente útil no Inverno em casas de montanha. Quando chega, a temperatura ambiente estará fixada em 21º e a água estará já quente.
− Por último, ventile bem a segunda residência: abra todas as janelas durante 15 ou 20 minutos. Assim eliminará os possíveis odores da pintura e outras partículas químicas.